O presidente do São Paulo, Julio Casares, não teve papas na língua para falar sobre a arbitragem de Matheus Delgado Candançan neste domingo, após o empate em 1 a 1 com o Palmeiras, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista.

O VAR foi o protagonista do clássico ao marcar um pênalti questionável do goleiro Rafael no zagueiro Murilo. Depois, sugeriu a revisão por um possível pênalti de Piquerez em Luciano, que recebeu o contato por trás, mas Matheus Candançan manteve sua decisão de campo. Outro lance polêmico foi a não expulsão de Richard Ríos após dura entrada em Pablo Maia, jogada que sequer foi revisada pelo árbitro de vídeo.

“Não pode atuar essa forma. Vi agora o auxiliar do árbitro xingando o Calleri. O auxiliar do Abel, João, rindo, ironizando. Chega de o Abel apitar jogo no Paulistão. Ou a Federação tem força e autonomia, ou vamos repudiar em todas as instâncias. Foi uma vergonha o que vimos no Morumbi hoje. Pênalti absurdo, e depois o VAR chama o árbitro em um pênalti legítimo do Luciano e ele se acovardou. A agressão ao Pablo, quase arrebentam o moleque, era para cartão vermelho direto. Ele dá amarelo, e o VAR se omitiu. Hoje é um dia triste para o futebol paulista. Reitero, o futebol paulista que é forte, tem uma liderança grande do Reinaldo [Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol], mas não pode acontecer o que aconteceu hoje”, desabafou Julio Casares.

O presidente do São Paulo também revelou que Jonathan Calleri, suspenso, mas que acompanhou o clássico no Morumbis neste domingo, foi intimidado por um membro da arbitragem ao reclamar das decisões do juiz após a partida.

“Queremos representar contra o auxiliar do árbitro, que xingou o Calleri, o Calleri estava quieto. Todos protestando e chamando ele, ele se acovardou quando o VAR chamou. O lance do Pablo é uma vergonha. Um garoto que foi convocado para a Seleção Brasileira. Pênalti absurdo. Se for assim, ele tem que dar durante os jogos quatro ou cinco pênaltis por jogo. O goleiro sai, a bola é dele. Eu lamento, não é exaltação, porque a vitória era merecida pelo que construímos dentro de campo. Lamentamos profundamente a omissão do VAR, a incompetência do árbitro. No lance do Pablo ele deu amarelo, e o VAR não chamou. O que o VAR está fazendo”, prosseguiu o presidente do São Paulo.

Julio Casares também lembrou que não é a primeira vez que o time é prejudicado por interferência do VAR.

“Ele acha um pênalti contra o Santos, depois acha uma expulsão do Arboleda. Aí vem aqui fomos protestar, o auxiliar do Abel, João, veio ironizar. Não se faz futebol assim. Lamentável. Nós vamos reagir. Aqui no Morumbis não vai acontecer mais isso. O Abel tinha que ser expulso, ele quer apitar o partido. De quem é a culpa? Lamentável. Futebol paulista hoje está de luto”, completou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *