James Rodríguez receberá uma nova oportunidade no São Paulo.

Duas semanas depois de manifestar o desejo de deixar o clube paulista, mas não chegar a um acordo financeiro de rescisão, o jogador teve uma nova conversa com a diretoria do São Paulo, na presença do técnico Thiago Carpini, e ficou decidido que o colombiano voltará a jogar pelo clube.

Embora esteja fora da relação de 26 nomes que disputam a primeira fase do Estadual, o jogador poderá ser inscrito caso o São Paulo se classifique para as quartas de final do Paulistão. O regulamento permite e substituição de até quatro jogadores na lista original feita pelo clube.

O Tricolor hoje está fora da zona de classificação, mas tem um jogo a menos que seus adversários pelo adiamento da partida contra a Inter de Limeira, que será dia 28, em Brasília. A próxima fase do Estadual será nos dias 10, 11 e 12 de março, o que dá a James quase três semanas de preparação.

A informação da nova chance a James foi divulgada inicialmente pela jornalista Renata Saporito, da Transamérica, e confirmada pelo ge.

Mesmo fora dos planos, James continuou treinando todos os dias no CT da Barra Funda. Carpini, em entrevistas recentes, disse que o jogador vinha sofrendo com problemas físicos nos treinamentos.

– Quando a gente aumenta um pouco a carga ele tem um incômodo crônico na panturrilha, e aí ele não consegue chegar no seu melhor estágio. Eu enquanto treinador tomo as decisões. Respeito todos, e tem o feeling do James, preciso que ele se sinta seguro para jogar. Eu não me senti seguro de comprometer todo o sistema, teria que ajustar muitas coisas para que ele fizesse parte. Acho que as coisas estão fluindo bem. Ele tem que se adaptar ao São Paulo. Claro que Quando ele estiver em campo vamos criar alternativas para ajudá-lo, mas quando ele reunir condições em todos os aspectos, física, mental e de estar no São Paulo e nos ajudar – disse Carpini dia 5, após a Supercopa.

Três dias depois, o treinador confirmou em entrevista coletiva que James havia pedido para sair:

– Nosso período de convívio foi curto, não tenho o que falar do atleta e do ser humano. O que atrapalhou um pouco foi o controle de carga que fizemos na pré-temporada por um incomodozinho na panturrilha. Ele já tinha tido na seleção essa lesão. Começamos a cuidar dela para ele ter condições o quanto antes. Mas é um interesse do próprio atleta (sair). Não é mais um assunto meu. Tecnicamente, o que ele representa e representou para o futebol a gente sabe. Seria até redundante da minha parte. Vamos entender os processos. Não foi uma decisão técnica, não foi uma decisão do clube. Foi uma decisão do próprio atleta – afirmou.

Pelo clube, James fez 14 jogos, todos no ano passado, e marcou um gol.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *