Deu racha na situação. Por mais que Júlio Casares seja candidato único e, portanto, será eleito por aclamação, a briga esquentou nos bastidores pela eleição do próximo presidente do Conselho Deliberativo.

Eu vinha antecipando há tempos que depois das matérias feitas por nós, mostrando a conduta do atual presidente do Conselho, Olten Ayres de Abreu, dificilmente ele continuaria na chapa de Júlio Casares. Nem o atual vice-presidente Massis ficou.

Júlio definiu Fábio  Mariz para ser o vice e Jorge Afonso para a presidência do Conselho Deliberativo, “traindo” Olten.

Como traição é a palavra mais usada no meio político, principalmente do São Paulo, a situação se dividiu e grupos liderados por Dedé e Carlos Belmonte, principalmente, permanecem no apoio a Olten. Lembro que o grupo de Dedé traz consigo Douglas Schwartzmann, o que por si só já é sinônimo de desaprovação.

Nesta quarta-feira houve uma reunião entre os grupos da oposição (Tradição, Legenda e Raiz) para uma definição de apoio. A tendência é que o Raiz apoie Olten e o Tradição, com algumas exceções, e Legenda  fiquem com Jorge Afonso ou simplesmente se abstenham na votação.

Jorge Afonso é uma pessoa com quem tive muito contato desde o início do Tricolornaweb e nunca se mostrou pessoa não confiável. Só lamento estar no grupo Participação, que além de Júlio Casares, tem Leco e Carlos Miguel  Aidar, entre outros. Porém, tenho certeza que não sairia bêbado dirigindo carro do clube, nem ficaria com a calça no meio das pernas e a cueca cheia de xixi num boteco. Também acredito que não perseguiria qualquer pessoa por divergências de opinião.

Por outro lado, a vitória de Olten pode indicar sérios problemas para Júlio Casares, pois ele teria um opositor raivoso e vingativo no principal cargo no clube, depois do seu.

Paulo Pontes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *