A ausência de Rafinha em sete dos nove jogos da temporada do São Paulo não causou apenas uma alternância na lateral esquerda, mas também na posição de capitão do time.

Na falta dele, outros três jogadores usaram a tarja em jogos na temporada, mas Calleri aparece como um segundo capitão, tendo usado a tarja nos jogos contra Mirassol, Ponte Preta, Santos e RB Bragantino. A tendência é que use se novo a peça neste domingo, contra o Guarani, em Campinas.

Com um lesão no tendão semitendíneo da perna esquerda, Rafinha deve voltar ao São Paulo apenas na reta final do Campeonato Paulista. Ele foi o capitão do time no primeiro tempo da vitória contra Corinthians em Itaquera e no título da Supercopa contra o Palmeiras, em Belo Horizonte.

Além deles, os outros jogadores que foram capitães na temporada foram Lucas, na estreia de 2024, quando o São Paulo venceu o Santo André por 3 a 1 no Morumbis; e Luiz Gustavo, que foi a referência da equipe nas vitórias contra Portuguesa e Água Santa, quando Carpini utilizou reservas.

Em entrevista ao ge nesta semana, Calleri falou sobre o seu peso e importância para a equipe:

– O clube passou dez anos carentes de jogadores que se identificavam. E começaram a se identificar comigo. Fiquei primeiro seis meses, prometi que ia voltar, voltei. Em 2022, melhor ano, fiz as coisas bem, perdi a final, me levantei. Em 2023, me machuquei, saí campeão. Acho que hoje eu não me considero ídolo, mas considero que minha imagem mudou depois da Copa do Brasil.

Abaixo, veja os capitães do São Paulo em 2024:
Santo André – Lucas;
Mirassol – Calleri;
Portuguesa- Luiz Gustavo;
Corinthians – Rafinha;
Palmeiras – Rafinha;
Água Santa – Luiz Gustavo;
Ponte Preta – Calleri;
Santos- Calleri;
Bragantino – Calleri.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *