Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, alguém já disse um dia: quando não dá na técnica, vai na raça. E foi o que o São Paulo fez nesta quarta-feira ao vencer, de virada, o Athletico. Está cada vez mais evidente que falta um meia no time. Desde os tempos de Rogério Ceni, que pediu jogadores para todas as posições, menos meias, até agora, com ausência por falta de contratação.

Até temos esse jogador que vem crescendo e consegue levar a bola da defesa ao ataque, real função de um meia: trata-se de Michel Araújo. Só que ele é mais um que entra no departamento médico como “dúvida para o próximo jogo” e fica dois meses para começar a tal transição.

Porém temos a comemorar a entrada de Rodriguinho. E não é a primeira vez que ele entra bem em uma partida. Aliás, ontem, em apenas dois minutos, fez mais do que Rodrigo Nestor o primeiro tempo inteiro.

A escalação de Dorival Jr era óbvia. As substituições, porém, mostraram que ele estava vendo o mesmo jogo que todos nós: faltava esse meia, estávamos perdendo o meio de campo, faltava velocidade. E ele mudou tudo isso no intervalo. Depois começamos a sofrer pressão, faltava um outro volante, já que Luan havia sido substituído. E ele colocou Mendez. Credito, portanto, a ele boa parte do resultado.

Algumas observações que se fazem necessárias: dez dias de Inter temporada e no primeiro jogo, Diego Costa sente lesão na coxa; Michel Araujo, antes mesmo do jogo, idem. O que acontece com o Departamento Médico do São Paulo? Alguém consegue explicar.

Outra conclusão: Luan está fora de forma por completo, nitidamente tem dificuldade para emagrecer, deve ainda estar sentindo aquela antiga lesão e não está rendendo o que dele se espera. Precisa ser afastado para recuperar sua forma ou teremos problemas com ele em campo,

Finalizando, a vitória era obrigatória e os três pontos necessários. Teve gente falando que o time não demonstrava vontade por conta do atraso de três meses no pagamento. Não concordo. Acho que o time buscou o tempo todo, correu muito e chegou á vitória. Entramos no G6 e isso, convenhamos, ninguém acreditava que pudesse estar acontecendo. Então, seguimos em frente porque sábado tem Cruzeiro, um velho conhecido. Vamos sem Calleri e sem Gabriel, que estão suspensos. Mas o Cruzeiro é mesmo velho freguês e, portanto, nada me assusta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *