Pela primeira vez desde a polêmica final da Copa Sul-Americana de 2012, São Paulo e Tigre voltam a se encontrar no estádio do Morumbi, nesta terça-feira (27).

A reportagem do Lance! entrou em contato com pessoas ligadas ao São Paulo que explicaram quais deverão ser os procedimentos contra este adversário histórico do Tricolor. As equipes se encontraram na Argentina, pela primeira rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana, e alguns procedimentos de segurança foram tomados na época, para evitar confrontos.

Neste jogo em questão, que aconteceu no começo de abril, a polícia argentina reforçou a segurança em torno do José Dellagiovanna, estádio onde aconteceu a partida. Tudo isso porque a torcida do Tigre havia prometido ‘revanche’ por conta do ocorrido em 2012 e ‘estresse pós-traumático’ para o São Paulo. A maior organizada do São Paulo, Independente, chegou até mesmo a proibir a presença de mulheres e crianças na caravana que seguiria do Brasil rumo ao estádio.

Tudo isso porque há 11 anos, o São Paulo só foi declarado como campeão daquela edição da Sul-Americana porque o segundo tempo simplesmente não existiu. No dia 12 de dezembro de 2012, o Tricolor estava com vantagem na primeira etapa da decisão contra a equipe argentina, vencendo por 2 a 0, com gols de Lucas Moura e Osvaldo.

Porém, na ida para o intervalo, uma grande confusão começou no túnel que levava aos vestiários. A provocação inicial teria partido de Lucas Moura, que teria mostrado um pedaço de algodão com sangue para Orban, um jogador do Tigre que atingiu o rosto do atleta são-paulino.

Mas isso não soou bem entre os argentinos, que cercaram o jogador brasileiro, necessitando de uma intervenção dos policiais militares que estavam presentes para a segurança do jogo. A partida aconteceu no Morumbi e, por pouco, o elenco do Tigre não invadiu os vestiários do time da casa.

Desde então, nesta terça-feira (27) será a primeira vez que o Tigre retorna ao Morumbi. Mas a reportagem do Lance! apurou que os procedimentos para a partida serão diferentes do que foi visto na Argentina. Ao que tudo indica, o Tricolor espera um clima tranquilo para o duelo. Não haverão reforços na parte de segurança e tudo seguirá como acontece em todos os jogos.

Caso exista algum confronto entre as torcidas, na parte de fora do estádio, isto ficaria em cargo da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Mas a expectativa é que não existam grandes problemas.

Foi relato ao Lance! que a delegação do São Paulo foi muito bem recebida pelo Tigre e o único problema foi no lado de fora, quando alguns torcedores do time argentino tentaram atirar pedras nos ônibus. Porém, a torcida confundiu e acertou onde o Tigre estava – mas sem feridos e sem grandes estragos.

E o Chacarita?

Por uma ironia do destino, a torcida do Chacarita – maior rival do Tigre -, é uma grande aliada a torcida são-paulina. Inclusive, na frente do estádio do Morumbi, existem grafites que fazem referência ao time argentino.

Na Argentina, no jogo de abril, a polícia federal do país proibiu a torcida tricolor de entrar no estádio vestindo a camisa do Chacarita. A rivalidade entre as duas equipes é bem forte, sendo comum cena de brigas nas partidas entre os dois. Porém, como informado ao Lance!, isso foi uma decisão das autoridades argentinas e não devem ser aplicadas no Morumbi.

A partida será às 21h30 (de Brasília), no Morumbi. No jogo que aconteceu na Argentina, o São Paulo venceu por 2 a 0, com ambos os gols de Erison.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *