O São Paulo entra em campo nesta quarta-feira, às 11h, no feriado de 1º de maio, em busca do título inédito da Copa do Brasil Sub-17, em decisão em jogo único, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. A partida tem transmissão do sportv.

Comandante da equipe, o gaúcho Allan Barcellos luta pelo seu primeiro título com a camisa do Tricolor. Depois de anos trabalhando no Grêmio, chegou ao CFA de Cotia em 2022, foi vice-campeão brasileiro e vice-campeão paulista em 2023 e, desta vez, usa os tropeços como passos de amadurecimento:

– Essa é uma geração protagonista, competitiva e vencedora. Chegamos a duas finais em 2023, essa é nossa terceira e esperamos conseguir o título. O São Paulo nos oportuniza estar competindo sempre. Muitos deste time jogaram o Paulistão Sub-17 do ano passado, alguns o Brasileiro, então já vivenciaram esse aspecto emocional que a competição traz. As derrotas trazem aprendizados.

Desde que chegou ao clube, Allan tem 96 Jogos, com 59 vitórias, 20 empates e 17 derrotas. Na categoria sub-17, são 52 jogos, com 30 vitórias, 12 empates e dez derrotas.

O técnico, que possui Licença Pro da CBF Academy e um MBA em Gestão de Pessoas pela USP, aponta o que, na sua visão, faz de Cotia um território fértil para o surgimento de craques:

– Paciência. Essa é a principal clareza desenvolvida no São Paulo. Ter paciência com a formação e equidade. Os atletas são diferentes, têm problemas diferentes e qualidades diferentes. Então você precisa tratá-los de forma individual, cada um com o que tem de ser desenvolvido. Vencer é importante, temos atletas vencedores, mas cada atleta tem seu tempo de desenvolvimento, e o São Paulo respeita isso. Tudo o que o São Paulo oferece em estrutura e qualidade de profissionais é significativo, mas com certeza o que faz diferença é ter essa clareza, paciência e equidade.

Para chegar à final, o São Paulo eliminou o PSTC, do Paraná, na terceira fase, o Athletico-PR nas oitavas, passou nos pênaltis pelo Corinthians nas quartas e derrotou o Cruzeiro na semifinal. Para a decisão, a equipe terá o reforço do lateral-direito Igor Felisberto, de 17 anos, que desce do sub-20 para reforçar a equipe. Na visão do treinador, a campanha foi feita com vários destaques:

– Temos uma geração equilibrada, cada setor tem um protagonista. Nosso goleiro João está muito bem, temos um zagueiro Igor que é extremamente competente e protagonista, inclusive já com passagem no sub-20, temos no meio-campo o Pedro Ferreira que é um dos nossos capitães e destaque da geração, nosso camisa 10 e um dos artilheiros do torneio, e na frente o Lucca, nosso extremo que vem decidindo jogos importantes, além de outros. Contamos com excelentes nomes.

Do sub-17 para o profissional
Desde que chegou ao clube, dois atacantes passaram pelas mãos do treinador e já fazem parte do elenco profissional: William Gomes, de 18 anos recém completos, e Henrique Carmo, que faz 18 em novembro. O técnico falou o impacto no salto da formação quando se pula o sub-20.

– Tivemos dois nesta situação, William e Henrique, o primeiro que acabou vivenciando parte da Copinha e o segundo nem isso. Há sim um pulo no conteúdo que o atleta precisa, mas a gente respeita o que o profissional solicita, já que na visão deles os jogadores já estão prontos.

– Quem tem performance de fato pula, mas nosso trabalho no sub-17 é preparar o atleta para o 20, entregar um atleta competitivo e técnico para a função dele, desenvolver os aspectos ofensivos e defensivos com cada funcionalidade. É hora de equilibrá-lo em todas as fases do jogo e deixar o jogador mentalmente muito resistente, para ele que suporte bem a exigência da categoria de cima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!