O São Paulo comunicou nesta sexta-feira o encerramento do contrato do meia André Anderson, anteriormente emprestado pela Lazio, da Itália, ao clube do Morumbi até o 30 de junho.

Houve reunião nesta tarde, no CT da Barra Funda, entre a diretoria são-paulina e o estafe do jogador para buscar a antecipação do fim do contrato.

André Anderson, do São Paulo, se pronunciou após cirurgia

Há divergências sobre questões ligadas ao processo de recuperação do jogador, que passou por cirurgia no púbis no mês de abril.

Com a camisa tricolor, o meia fez 12 jogos no ano passado e não embalou sob o comando de Rogério Ceni, que deu aval para a contratação.

André Anderson enviou uma notificação extrajudicial e pede para voltar ao São Paulo — Foto: Divulgação/São Paulo
André Anderson enviou uma notificação extrajudicial e pede para voltar ao São Paulo — Foto: Divulgação/São Paulo

O jogador de 23 anos, que recentemente foi personagem de uma reportagem especial do ge, possui contrato com a Lazio.

O atleta não atua pelo clube desde novembro do ano passado por um quadro de pubalgia, que o tirou completamente de ação no Tricolor e obrigou a necessidade de cirurgia.

A ação com André Anderson inicia o planejamento de ajuste de elenco para a janela de transferências que irá abrir na primeira semana de julho.

Fim conflituoso
O fim da passagem do jogador terminou de maneira conflituosa, com o clube recebendo uma notificação com cobranças em nome do jogador. Procurado, o São Paulo decidiu não se manifestar sobre o caso.

A decisão sobre a saída de André Anderson estava tomada há alguns meses, especialmente depois da saída de Rogério Ceni, responsável por indicar o meia ao Tricolor.

Em nota oficial enviada à reportagem do ge e assinada pelo jogador, além dos advogados Filipe Rino e Thiago Rino, André Anderson reclamou da postura do clube no processo de recuperação da cirurgia realizada no púbis, inclusive alegando que o clube o impediu de usar as dependências do CT para o tratamento.

Confira a nota oficial:
Muitos torcedores e membros da imprensa devem se perguntar: e o André Anderson, ainda é atleta do São Paulo? Cadê ele? Então, faremos esse esclarecimento.

Em Abril de 2022 o atleta André Anderson foi cedido pela Lazio ao São Paulo FC, com contrato até 30 de Junho de 2023. Foi submetido a bateria de exames médicos prévios, como determina o artigo 11, parágrafo único, alínea “a” do Regulamento Nacional de Registro e Transferência de Atletas de Futebol da CBF, sendo declarado apto pelo Departamento Médico do São Paulo FC. Essa aptidão para exercer a profissão consta, inclusive, no Contrato Especial de Trabalho Desportivo, registrado no BID da CBF.

O atleta estreou em 17/04/2022 contra o CR Flamengo, sendo que até 03/07/2022, havia atuado em 17 partidas oficiais pelo São Paulo FC.

Após a partida realizada em 03/07/2022, passou a sentir dores na região do púbis. Foi realizado exame específico de imagem, sendo constatada lesão no local. O Departamento Médico do São Paulo FC optou por realizar tratamento conservador, com utilização de infiltração de plasma rico em plaquetas e sessões de fisioterapia. Sem evolução, foi submetido a infiltração com corticoide. Esse período durou aproximadamente 10 semanas.

Após a realização da infiltração, voltou a atuar em partida oficial em 06/10/2022, sendo que realizou mais 9 partidas oficiais pelo São Paulo FC, até o fim a temporada de 2022.

Na reapresentação para a pré-temporada de 2023, o atleta voltou a sentir dores na mesma região,após exercícios de carga e intensidade alta, conforme Relatório Médico emitido pelo Departamento Médico do São Paulo FC.

Em meados de Janeiro de 2022, o Departamento Médico do São Paulo FC recomendou avaliação por especialista, indicando o Dr. Roberto Dantas Queiroz, que recomendou tratamento cirúrgico.

Como o atleta estava cedido pela Lazio, o São Paulo FC requereu que o atleta fosse avaliado pelos médicos da agremiação italiana. O atleta se deslocou para a Itália, sendo avaliado pelos médicos da Lazio, que também recomendaram o tratamento cirúrgico.

Após diálogo entre os envolvidos, o atleta decidiu realizar a cirurgia e o tratamento no Brasil, para cumprir seu contrato de trabalho com o São Paulo FC. O São Paulo FC solicitou a Lazio autorização para realização da cirurgia, o que foi prontamente atendido.

Ocorre que passados quase três meses, o São Paulo FC não providenciou o tratamento cirúrgico. Sofrendo com dores e sem poder exercer sua profissão, em Abril de 2023 o atleta André Anderson custeou integralmente sua cirurgia.

Após a cirurgia, foi concedido atestado médico e afastamento de atividades físicas por três semanas, com posterior início da fisioterapia.

Todavia, após tal período, o atleta foi impedido de realizar seu tratamento médico nas dependências do São Paulo FC, que frisa-se, possui revolucionário setor de reabilitação, mundialmente famoso: REFFIS.

Assim, para que não houvesse maiores agravantes em sua reabilitação, o notificante vem realizando tratamento por sua conta, sem nenhum respaldo do São Paulo FC.

Destaca-se que a simples leitura do §2o do artigo 45 da Lei 9.615/98 imputa a RESPONSABILIDADE do São Paulo FC em arcar com TODAS as despesas médico hospitalares. Tal obrigação consta, inclusive, no artigo 84, §1o da recém sancionada Lei Geral do Esporte, Lei 14.597/2023.

Ainda, é obrigação do São Paulo FC prorrogar o contrato de trabalho em virtude da lesão e tratamento cirúrgico (caracterizada como acidente de trabalho), nos termos da legislação vigente no Brasil e por força de obrigação contratual.

Assim, em 15/06/2023, resguardando seus direitos como trabalhador e funcionário do clube, o atleta André Anderson notificou extrajudicialmente o São Paulo FC, (1) para que o atleta seja reintegrado ao elenco, possibilitando-o efetuar o tratamento médico pós-cirúrgico nas dependências do São Paulo FC, sendo lhe conferido tratamento igualitário aos demais atletas profissionais e futebol, bem como seja permitido que o atleta cumpra seu Contrato de Trabalho, (2) seja prorrogado o Contrato Especial de Trabalho Desportivo com nova vigência até 30/06/2024, em respeito à estabilidade provisória, (3) para que o São Paulo FC efetue o ressarcimento das despesas da cirurgia, (4) efetue o pagamento dos Direitos de Imagem.

Por fim, o atleta exalta que está empenhado em sua reabilitação para poder voltar a exercer sua profissão, vestir o manto tricolor e lutar por grandes títulos.

São Paulo, 16 de Junho de 2023.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *