A LDU costuma ser um adversário complicado para o São Paulo, principalmente quando a partida é disputada no Equador. Na quinta-feira, às 19h (de Brasília), eles farão o quinto confronto da história das equipes, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana, em Quito.

Nas outras quatro vezes em que se enfrentaram, só os mandantes venceram – duas vitórias para cada lado. São seis gols marcados pelo Tricolor e sete sofridos.

E nas duas vezes em que o São Paulo foi à capital equatoriana para enfrentar a LDU, saiu goleado. Na última vez que se encontraram, os donos da casa aplicaram um 4 a 2, pela fase de grupos da Libertadores de 2020.

Aquele resultado praticamente eliminou qualquer chance que o Tricolor tinha de se classificar para as oitavas de final da competição, algo que se confirmaria em sequência.

Na Libertadores de 2004, outra noite complicada para o São Paulo na altitude de mais de 2.800 metros: derrota por 3 a 0, com um time que contava com nomes como os de Rogério Ceni, Cicinho, Luis Fabiano e Grafite.

Esta será a primeira vez que LDU e São Paulo vão se enfrentar em um duelo mata-mata. O Tricolor, portanto, espera construir um bom resultado em Quito para trazer a decisão para o Morumbi, onde o time jamais perdeu para os equatorianos. O jogo de volta será no próximo dia 31, às 19h.

Na fase de grupos da Libertadores de 2004, deu o troco com uma vitória por 1 a 0. Em 2020, venceu por 3 a 0, no último jogo do Morumbi antes das paralisações do futebol mundial devido à pandemia do coronavírus.

Como vem a LDU?
A sequência da LDU não é das melhores. Após perder para o Ñublense, no tempo normal das oitavas de final e vencer nos pênaltis, a equipe acumula dois empates por 0 a 0, ambos pelo Campeonato Equatoriano.

A principal aposta do time de Luis Zubeldía é Paolo Guerrero, nome bem conhecido no futebol brasileiro e do São Paulo, principalmente pela época em que vestiu a camisa do rival Corinthians. Em cinco jogos pela LDU, ele tem apenas um gol.

Na Copa Sul-Americana, o time equatoriano passou na liderança do Grupo A, com 12 pontos ganhos. Ao todo, tem 13 gols marcados e cinco gols sofridos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *