Novidade na lista de Dorival Júnior para os amistosos contra Inglaterra e Espanha, Rafael vive a expectativa de participar de algum dos jogos da seleção brasileira nesta Data Fifa e assim aumentar a briga por uma vaga no grupo.

Absoluto no gol do Tricolor, o goleiro vive o melhor momento da carreira e tem bastante intimidade com o treinador, com quem foi campeão da Copa do Brasil em 2023. No treino da última quinta-feira, porém, Dorival indicou uma formação da Seleção para o jogo de sábado, contra a Inglaterra, com Bento no time titular – Léo Jardim é outra opção para o gol.

Aos 34 anos, Rafael tem histórico na seleção de base. Ele foi vice-campeão mundial há quase 15 anos, quando foi titular time sub-20 no torneio disputado no Egito, em 2009, com o técnico Rogério Lourenço. Na época, pertencia ao Cruzeiro e havia sido campeão da Copinha dois anos antes.

Em Cairo, o jogador que no Cruzeiro era segundo reserva de Fábio assumiu a meta da equipe nos jogos contra Costa Rica, República Tcheca e Austrália, na primeira fase, e seguiu titular no mata-mata. Nas oitavas, pegou pênalti na vitória do Brasil contra o Uruguai, batido por Abel Hernandez.

A equipe contava com nomes como Paulo Henrique Ganso, Giuliano e Alan Kardec.

Rafael seguiu na meta nas quartas, quando o Brasil superou a Alemanha, e na semifinal, contra a Costa Rica. O Brasil, porém, não conseguiu o título mundial. Após 120 minutos sem gols contra Gana, a seleção perdeu por 4 a 3 nas penalidades, mesmo com Rafael pegando pênaltis de Bright Addae e Jonathan Mensah. Pelo Brasil, Alex Teixeira, Maicon e Souza desperdiçaram as cobranças.

Goleiro menos vazado no torneio, o ainda jovem Rafael levou só três gols em sete jogos. Na ocasião, ele se sentiu valorizado pela chance, como disse no retorno ao Brasil:

– A gente queria ser campeão e por um detalhe não fomos. Mas eu consegui fazer um bom campeonato, bons jogos, ajudei a seleção a chegar à final. Fico feliz por ter jogado, atuado bem. Agora é tentar melhorar a cada dia, sempre evoluindo – afirmou, na ocasião.

No São Paulo desde o início do ano passado, ele acumula 78 partidas e tem dois títulos. No Paulistão, apesar de ter defendido a cobrança de Lucca na decisão por pênaltis contra o Novorizontino, no fim de semana, no Morumbi, não conseguiu levar o Tricolor à semifinal da competição.

Relembre a escalação do Brasil na final de 2009:
BRASIL: Rafael, Douglas (Wellington Júnior), Dalton, Rafael Tolói e Diogo; Renan (Maicon), Souza, Giuliano e Paulo Henrique Ganso (Douglas Costa); Alex Teixeira e Alan Kardec;
GANA: Agyei, Inkoom, Mensah, Addo e Addy; Agyemang-Badu, Quansah (Agyemang), Rabiu (Addae) e Ayew; Osei (Kassenu) e Dominc Adiyiah.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *