Um grupo de 50 conselheiros oposicionistas (e alguns situacionistas), apresentaram um projeto ao presidente do Conselho Deliberativo pedindo eleição direta já neste ano para a presidência do clube.

De acordo com o grupo de conselheiros, neste primeiro momento se prevê que apenas os sócios patrimoniais terão direito a voto, desde que associados há, no mínimo, dois anos antes do pleito.

A formação das chapas se dará por decisão dos conselheiros, não se admitindo candidaturas avulsas. Ou seja: o número de assinaturas para composição de uma chapa continua sendo de, no mínimo, 55 conselheiros vitalícios.

Os termos desse pedido que foi protocolado na última sexta-feira foi elaborado pelo GOL – Grupo de Oposição de Luta. Os organizadores não quiseram divulgar os nomes dos conselheiros que assinaram por constarem ali alguns que fazem parte da situação. Mas sabe-se que ex-presidentes, como Fernando Casal de Rey e José Douglas Dallora, assinaram o documento.

É claro que tenho absoluta certeza que o presidente do Conselho Deliberativo vai criar enormes dificuldades para colocar em votação esse projeto. Ao contrário do que está fazendo com o seu próprio projeto, que prevê eliminação sumária de sócios do quadro social se cometer alguma infração e se isso for vontade de algum sócio que se sentiu ofendido ou mesmo pelo próprio relator da Comissão Disciplinar. Ou seja, um arbítrio, pis um sócio pode ser expulso sem mesmo ter como se defender.

Vou acompanhar o andamento do projeto e manterei todos aqui informados.

Paulo Pontes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *