Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, o São Paulo ganhou mais uma vez de virada, nesta segunda-feira, no Morumbi. Saiu perdendo para o Fluminense, mas empatou logo após sofrer o gol e virou no segundo tempo. Isso já houvera ocorrido com o Águia de Marabá e o Cobresal, pela Copa do Brasil e Libertadores, respectivamente.

Por mais que isso nos traga algum susto ou desconfiança, mostra, por outro lado que o time está se encorpando, não entra em parafuso quando sofre o gol e consegue forças par buscar o resultado. Isso tem muito a ver com a energia e a confiança que Zubeldía passou para o elenco, pois se ele ainda não teve tempo de treinar o time para impor seu pensamento tático, substitui com muita vibração na beira do campo.

O técnico argentino parece ter encontrado o time base do São Paulo, ao menos enquanto titulares não estão aptos a jogar. Ele tem repetido essa escalação, mas fica claro que Pablo Maia, Wellington e Lucas serão titulares, quando estiverem aptos, sem contar Calleri.

Sendo assim, por mais que o Fluminense tenha vindo com time misto, vamos combinar que nós também estávamos, pois só aí em cima listei quatro jogadores que estão fora por lesões, além de Michel Araújo, que tem sido titular, suspenso.

Não quero dizer com isso que temos um grande elenco, que vamos disputar todos os títulos este ano. Mas, pelo menos, não vamos sofrer com proximidade do Z4. Aliás, estamos no G6.

Destaco nessa partida Luciano. Fez um gol anulado, brigou, como sempre, mas, principalmente, desequilibrou o Fluminense. A atitude dele indo buscar uma bola para cobrar rapidamente o lateral, sem cumprir o far play, tirou Fernando Diniz e o time do Fluminense do equilíbrio. O técnico foi expulso e o time carioca ficou perdido. Isso ocorreu nos últimos segundos do primeiro tempo. No segundo, só deu São Paulo.

Aliás, o jogo inteiro foi de domínio do São Paulo, pois Fábio foi exigido três vezes, tivemos gol anulado, e Rafael foi apenas expectador do jogo. Isso implica dizer que o São Paulo fechou bem os espaços, sufocou o Fluminense em sua saída de bola, provando mais uma vez a fragilidade do sistema defensivo dos times de Diniz, e fez por merecer a vitória.

Continuo freando minha empolgação e, sem coração mas com razão, não vejo o São Paulo campeão de nada este ano. Porém, o coração está começando a gritar e tentando ultrapassar a razão. Ou melhor: se tornar a razão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!