O diretor de futebol do São Paulo, Carlos Belmonte, detalhou a atual situação financeira do clube e atualizou a negociação para a permanência de Lucas Moura em 2024.

Em entrevista ao ge, logo após o título da Copa do Brasil, o dirigente deixou aberta a possibilidade de renovação de contrato de Lucas. No entanto, admitiu que irá respeitar o desejo do jogador, que tem vínculo com o clube apenas até o fim deste ano.

– O amor que o Lucas tem pelo São Paulo é incrível. O que eu posso garantir ao torcedor do São Paulo é que faremos tudo que pudermos para manter o Lucas com a gente por aqui mais tempo, óbvio que vamos respeitar a vontade do Lucas, porque o que é combinado não é caro e nós combinamos com o Lucas esses seis meses até o final do ano.

– Agora vamos continuar conversando, o Lucas já sabe que a gente, óbvio, quer continuar com ele e vamos fazer tudo que for necessário. O Lucas é fundamental dentro e fora de campo, o seu tamanho eleva o patamar do elenco como um todo, então a gente vai fazer o máximo, mas, de novo, daqui até o fim do ano tem tempo, vamos deixar tudo se assentar, mas o torcedor pode ter certeza de que faremos o máximo possível – disse Belmonte.

Lucas retornou ao São Paulo em agosto após mais de dez temporadas atuando na Europa. O atacante passou por PSG e Tottenham. O grande atrativo do clube para buscar manter o jogador é o lado emocional.

Aos 31 anos e formado no São Paulo, Lucas se profissionalizou no clube aos 17 anos antes de explodir como promessa até se transferir para a Europa. Na segunda passagem pelo Morumbi, foram dez jogos e três gols marcados até o momento. Além, claro, do título da Copa do Brasil.

– Estou vivendo um sonho, literalmente. Por tudo que envolveu minha volta, a mobilização da torcida nas redes sociais, até alguns jogadores mandando mensagens para mim. Estou vivendo um sonho, São Paulo é sentimento, está na minha pele, fui formado no clube, subi com 17 anos, agora estou com 31, careca e com dois filhos, aguentando a molecada me zoando já (risos). Mas feliz demais – disse Lucas, ainda no gramado do Morumbi após o título da Copa do Brasil.

Aviso ao mercado
Carlos Belmonte usou a entrevista ao ge para reforçar a importância dos torcedores do São Paulo na receita do clube nesta temporada. Segundo o dirigente, a média de público nos jogos impulsionou a arrecadação e ajudou nas contratações de Lucas e James Rodríguez.

– Tivemos arrecadações que estavam fora da previsão orçamentária. Oito jogos com mais de 50 mil pessoas, o dinheiro foi entrando. Graças a esses caras (torcedores) que o Lucas e o James estão aqui. E recusamos seis vendas, três delas muito importantes: Beraldo, Pablo e Welington. Precisamos que o torcedor continue lotando o Morumbi.

O diretor de futebol ainda mandou recado para os clubes interessados em jogadores do atual elenco. Segundo ele, o São Paulo agora pode escolher a melhor oferta antes de concluir qualquer negociação.

– O Miranda um dia conversando no refeitório disse: “Cara, esse menino (Beraldo) é melhor do que eu. Vai ser mais zagueiro do que eu”. Fiquei muito com isso na cabeça, ele sequer tinha jogado. Subimos o Beraldo e deixamos um ano sem jogar. Achávamos que ele precisava ganhar disputas mais fortes com profissionais. Quem comprou barato, comprou. Ninguém compra mais barato do São Paulo. Agora temos condição de vender pelo que achamos que vale.

– Gabriel Sara é um jogador que vale 20 milhões de libras, vendemos por nove milhões. Jogador fantástico, mas precisávamos daquele dinheiro. Hoje, por nove de libras, ele (Beraldo) não vai. Nem talvez pelo dobro. Quem quiser vai ter que pagar – disse o dirigente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *