Dois jogadores do Talleres foram detidos por desacato nesta quarta-feira, após a derrota sofrida para o São Paulo, por 2 a 0, no Morumbis, pela última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores.

Ao fim da partida, Lautaro Morales e Juan Portillo xingaram os policiais militares que faziam a escolta do árbitro colombiano Jhon Ospina, alvo de muitas reclamações por parte do Talleres devido a um suposto pênalti não marcado a favor da equipe argentina no fim do primeiro tempo.

A confusão, no entanto, começou ainda no intervalo, quando o goleiro titular, Guido Herrera, deixou o campo furioso por ter sido atingido pelo escudo de um dos policiais que protegiam o trio de arbitragem.

“No intervalo da partida houve o início de uma confusão em razão da não marcação de um pênalti para a equipe do Talleres. Os atletas foram reclamar com a arbitragem sobre a não marcação do pênalti. Como acontece sempre aqui no Brasil, a Polícia Militar, a escolta do árbitro, fez uma proteção para o árbitro, que foi um pouco para trás. A Polícia Militar fez a barreira com os escudos, e o goleiro da equipe do Talleres passou a reclamar com o policial que o escudo teria encostado nele. As equipes foram para o vestiário, desceram, no túnel houve um pouco mais de discussão, mas até então tudo tranquilo, coisas do futebol, da partida que ainda não tinha se decidido”, disse o delegado da Polícia Civil, Cesar Saad.

Mas, o clima esquentou mesmo após o apito final, quando os ânimos ficaram ainda mais acalorados e dois jogadores do Talleres acabaram sendo detidos por desacato.

“No final da partida houve o segundo gol do São Paulo. O goleiro reserva passou pelo trio de policiais militares que fazia a escolta da arbitragem, os mesmos que estavam no meio do campo no intervalo, passou e proferiu xingamentos a eles. Isso foi claro, testemunhado por vários outros policiais e pessoas que estavam no campo. No túnel de acesso aos vestiários, um outro atleta passou e xingou os policiais na frente de outras pessoas. Eles foram detidos, encaminhados para o Jecrim onde estão sendo autuados por desacato e vão passar aqui mesmo por audiência para serem liberados”, prosseguiu o delegado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!