Você conhece o youtuber Ilsinho Jr?

Ele foi revelado pelo Palmeiras, teve sucesso no São Paulo, jogou seis anos no Shahktar Donetsk, da Ucrânia, voltou ao Tricolor num período curto, passou pelo Internacional e ficou por seis temporadas no Philadelphia Union, da MLS, na principal liga de futebol dos Estados Unidos, onde vive até hoje.

É de lá que ele grava seus vídeos, produz lives e fala bastante sobre o São Paulo, clube pelo qual teve sucesso.

– Hoje é até engraçado que eu vejo alguns posts: o que fazem os campeões brasileiros de 2006? Eu sou youtuber? Eu nem sei (risos). Me colocam como youtuber, influencer de futebol… – disse ele, que venceu também o bicampeonato brasileiro no Tricolor em 2007.

Na Filadélfia, Ilsinho fez o curso da Licença B de treinador e hoje realiza à distância, numa faculdade de Manchester, na Inglaterra, um mestrado para se tornar diretor esportivo. Por acaso, realizou chamadas de vídeos com amigos sobre futebol, o conteúdo agradou e hoje ele tem 23 mil inscritos em seu canal.

As opiniões, às vezes, são impopulares. Como a de que Thiago Carpini merece seguir no São Paulo:

– Perdi muito view (visualizações) durante essas últimas semanas do São Paulo porque eu tentei defender, não defender, mas tentei mostrar o que aconteceu com o Carpini, o que ele tentou fazer e a gente claramente perdeu view porque a galera estava querendo me ver bater no Carpini, mas eu não posso ir contra o que eu acredito, senão fica feio. Uma hora ou outra eu vou me contradizer! Então eu fico com o que eu vejo e com o que eu acredito, com o que eu acho certo – destacou.

Ilsinho lembrou alguns momentos da carreira e falou dos famosos elásticos que dava em campo para delírio da torcida, mas que causavam a fúria do técnico Muricy Ramalho à beira do campo.

– Num jogo contra a Ponte Preta, o elástico estourou na frente dele assim, não saiu, a gente acabou empatando por 1 a 1 no Morumbis lotado e ele ficou putaço: “Não faz mais isso, seu moleque irresponsável”. Ele me deu uma dura! Aí no jogo contra o Santos na Vila, eu meio kamikaze, veio na cabeça, estava entre dois jogadores do Santos, nem vi quem eram, mas me vi em perigo e usei ali minha arma secreta, digamos assim. Era uma coisa que saía do nada e algumas vezes deu certo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *