Quem tem Renato Augusto tem meio caminho andado para uma classificação à semifinal da Copa do Brasil. Assim como foi no ano passado, contra o Fluminense, o camisa 8 foi a alma do Corinthians no primeiro jogo decisivo por uma vaga na decisão da competição nacional. Ele marcou os dois gols do Timão na vitória por 2 a 1 sobre o São Paulo na noite desta terça-feira (25). Luciano, fazendo valer a lei do ex, foi quem marcou para os são-paulinos e ajudou a construir o resultado.

O jogo de volta acontecerá em três semanas, no dia 16 de agosto, no estádio do Morumbi. Não há critério que dê vantagem por gol fora de casa. Assim, o Corinthians terá somente o empate ao seu favor na segunda partida, enquanto o São Paulo precisará marcar dois gols para se classificar à final da Copa do Brasil sem precisar passar pela disputa por pênaltis. Qualquer triunfo tricolor por um gol de diferença levará a definição do duelo pela marca da cal.

CINCO LANCES QUE MARCARAM A PARTIDA

> PRIMEIRO TEMPO. Aconteceu?

> CALLERI FORA. O atacante sentiu um desconforto ainda no primeiro tempo e foi substituído. Centroavante preocupa para a sequência são-paulina na temporada.

> NOITE DE REI… nato Augusto. O meia fez valer a diferença que se espera dele. Marcou dois gols e foi o dono da vitória corintiana na Neo Química Arena

> LEI DO EX GARANTE JOGO DE VOLTA. Quando o Corinthians vencia por 1 a 0, o São Paulo não sentiu o gol e, poucos minutos depois, buscou o empate. E quem marcou? Luciano, ex-atleta do Timão. A lei do ex garantiu a emoção para o jogo de volta, daqui a três semanas, já que a vantagem corintiana é mínima e tudo está em aberto para o confronto no Morumbi.

> !QUE COISA FEIA! Na comemoração do gol marcado por Luciano, torcedores do Corinthians atiraram objetos no gramado, entre eles um tênis. Um gândula, inclusive, tentou agredir o atacante são-paulino. Houve, também, desentendimento entre os jogadores das duas equipes.

COMO FOI O PRIMEIRO TEMPO?

Era um clássico entre Corinthians e São Paulo em uma semifinal de Copa do Brasil, mas o primeiro tempo parecia mais um jogo qualquer da terceira rodada da Série A3 do Paulistão. Técnico do Timão, Vanderlei Luxemburgo é dono da célebre frase que diz ‘o medo de perder tira a vontade de ganhar’. E a equipe de Luxa parecia isso na etapa inicial. Desorganizada, perdida, vendo o São Paulo buscar o jogo. Os Alvinegros finalizaram apenas uma vez em 45 minutos, graças ao sempre esperado lampejo de Renato Augusto, que fez tudo sozinho: escapou da marcação e chute de fora na área, buscando o canto esquerdo, mas parou na boa defesa do goleiro Rafael. No lado são-paulino houve até mais empenho e tentativas, mas faltou pontaria. Foram seis finalizações, somente uma no gol, em um momento em que o Tricolor foi para cima em bloco, mas Michel Araújo chutou fraco, para fácil defesa de Cássio, caindo no esquerdo. O melhor momento da equipe do Morumbi na etapa inicial foi em um tiro de longa distância executado por Pablo Maia que levou perigo, mas passou por cima do gol corintiano.

E A ETAPA FINAL?

Foi completamente diferente do primeiro tempo. Ela existiu. E existiu tanto, que começou pegando fogo. Logo aos dois minutos, o placar foi aberto pelo Timão. Adson, que havia entrado no intervalo, recebeu bola de Maycon e encontrou Renato Augusto. E foi ali que começou o show do camisa 8, que finalizou de fora da área e, na sua especialidade, acertou o canto direito de Rafael. O São Paulo, por sua vez, não sentiu o gol sofrido e manteve o ritmo de posse de bola. E demorou pouco para empatar. Aos nove minutos, Gil escorregou e deu espaço para Luciano finalizar de fora da área, buscando o canto direito de Cássio, a bola bateu na trave, desviou no pé do goleiro corintiano e entrou. Após empatar, o São Paulo seguiu buscando mais o jogo. Mas foi o Corinthians que anotou o segundo. E novamente com ele: Renato Augusto. O zagueiro Murillo fez o lançamento longo, o lateral Caio Paulista, do Tricolor, se enrolou, e a bola sobrou para o camisa 8 corintiano na entrada da área, para, de bico (que também vale) estufar as redes do goleiro Rafael.

NÚMEROS DO JOGO

O QUE VEM POR AÍ

Como a partida de volta acontece somente no dia 16 de agosto, tanto Corinthians, quanto São Paulo têm compromissos por outras competições antes de decidirem quem vai para a final da Copa do Brasil. O Timão encara o Vasco da Gama, na Neo Química Arena, neste sábado (29), às 18h30 (horário de Brasília). A partida terá portões fechados, por conta de uma punição sofrida pelos corintianos por contas de gritos homofóbicos entoados pela torcida da equipe alvinegra justamente em uma partida contra o Tricolor, pelo Brasileirão, em maio. Os são-paulinos, por sua vez, enfrentam o Bahia, no estádio do Morumbi, no domingo (30), às 11h (horário de Brasília).

Antes de decidirem a vaga na decisão da Copa do Brasil, Corinthians e São Paulo também têm compromissos pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Ambos vão enfrentar equipes argentinas. O Timão, encara o Newell’s Old Boys, nos dias 1º e 8 de agosto. O primeiro confronto será em Itaquera, já o segundo na cidade de Rosário, na Argentina. Já o Tricolor, enfrentará o San Lorenzo, nos dias 3 e 10. A partida de ida, será em Almagro, e a volta no Morumbi.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 1 SÃO PAULO
COPA DO BRASIL – JOGO DE IDA

Local: Neo Química Arena, São Paulo (SP)
Data e hora: 25 de julho de 2023, às 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (FIFA-GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires (FIFA-GO) e Nailton Junior de Sousa Oliveira (FIFA-CE)
Árbitro de vídeo: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (FIFA-SP)
Público e renda: 46.965 pessoas | R$ 2.690.717,50
Cartões amarelos: Berlado, Pablo Maia e Luciano (São Paulo)
Cartões vermelhos: –

GOLS: 1-0 Renato Augusto (2’/2T); 1-1 Luciano (9’/2T); 2-1 Renato Augusto (36’/2T)

CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Gil, Murillo e Fábio Santos; Fausto Vera (Matheus Araújo, 27’/2T), Ruan Oliveira (Adson, intervalo), Maycon (Roni, 38’/2T) e Renato Augusto (Bruno Méndez, 44’/2T); Róger Guedes e Yuri Alberto (Felipe Augusto, 27’/2T). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SÃO PAULO
Rafael; Rafinha, Arboleda, Beraldo e Caio; Pablo Maia e Alisson; Wellington Rato (Erison, 18’/2T), Luciano e Michel Araújo (Rodrigo Nestor, 18’/2T) (Jhegson Méndez, 39’/2T); Calleri (Juan, 25’/2T). Técnico: Dorival Júnior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *