Nesta terça-feira, a CBF divulgou um vídeo para explicar algumas das polêmicas de arbitragem que ocorreram na 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. Entra elas, foi citado o pênalti marcado para o Flamengo contra o São Paulo, no último domingo, no Maracanã.

O lance aconteceu aos 47 minutos do segundo tempo. O atacante Luiz Araújo recebeu a bola pelo lado direita, cortou para o meio e foi derrubado por Michel Araújo, dentro da área. Pedro converteu a cobrança e empatou a partida, que terminou com o placar de 1 a 1.

Durante a checagem do VAR, que flagrou um possível impedimento de Luiz Araújo, torcedores são-paulinos questionaram as linhas que foram traçadas pelos árbitros. Uma linha azul, que apareceu na imagem, deu a entender que o atacante do Flamengo estava impedido.

O ex-árbitro Péricles Bassols, gerente técnico do VAR, explicou a decisão: “Essa linha azul não determina a linha lateral. Ela não mostra o ponto que o atleta está no solo. A linha está apontada para o céu, é uma referência vertical. A análise dessa linha azul não é em relação aos outros jogadores, é sobre o cruzamento das linhas amarelas. Seria como um ponto de referência, um alvo”.

“Quando nós fazemos a pré-confirmação gráfica, essa linha fica amarela. Esta linha azul não serve como referência para o atleta lá de cima”, completou.

Ou seja, de acordo com análise do VAR, as linhas que foram traçadas no pé de Luiz Araújo e no último defensor do São Paulo, não diagnosticaram impedimento, pois ficaram sobrepostas.

“Então, só para explicar, as linhas ficaram sobrepostas. E toda vez que isso acontece, se beneficia o ataque, como já foi explicado”, disse o chefe da Comissão de Arbitragem da CBF, Wilson Seneme.

Esta era justamente a questão que gerou revolta na diretoria são-paulina: o uso do VAR no momento de checar o impedimento. O clube, inclusive, enviou um ofício à CBF no dia seguinte pedindo explicações. Mas não houve questionamento sobre o toque de Michel Araújo no jogador do Flamengo.

Até mesmo Seneme, no vídeo, analisou o contato e viu acerto da equipe de arbitragem. “Nós vemos o movimento adicional do jogador (Michel Araújo), que levanta o pé quando a bola passa por ele. É um risco muito grande. Isso é ser imprudente, que é a falta de atenção e de consideração com o adversário”, explicou.

“Essa ação se caracterizou pela falta de atenção do atleta, que chutou a parte alta da perna do adversário quando a bola estava em baixo”, concluiu.

Após a partida no Maracanã, o técnico Dorival Júnior criticou algumas decisões que foram tomadas contra sua equipe ao longo da temporada.

“Sobre o pênalti, não vou falar porque temos deixado muitos pontos ao longo da competição. E, talvez não seja o pênalti o fator principal, mas a condução para mim é o que vem acontecendo e prejudicando demais o que a equipe vem produzindo. Se não fosse assim, nós poderíamos ter tido pelo menos oito ou nove pontos a mais, além do que temos nesse momento”, disse em coletiva.

O São Paulo queria esclarecer a situação antes do clássico diante do Corinthians, válido pela volta das semifinais da Copa do Brasil, tratado internamente como o jogo mais importante do ano. O confronto está marcado para esta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Morumbi.

A equipe tricolor está em desvantagem no duelo por ter perdido a ida por 2 a 1, em Itaquera. Caso o placar agregado termine igual, a decisão irá para os pênaltis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *