Nesta segunda-feira, o presidente do São Paulo, Julio Casares, foi homenageado pela Câmara Municipal de São Paulo. Em sessão solene que aconteceu no Palácio Anchieta, o dirigente recebeu a Medalha Anchieta – maior honraria da câmara – e o Diploma de Gratidão da cidade de São Paulo.

A sessão solene foi presidida pelo vereador Fabio Riva (PSDB), líder do governo na câmara e autor da proposta. A mesa presente foi composta por Cacá Vianna, secretário municipal de Esportes e Lazer de São Paulo; Edson Marcusso, prefeito de Boituva; Ives Gandra Martins, presidente do Conselho Consultivo do São Paulo FC; Mauro Silva, vice-presidente da Federação Paulista de Futebol; e Julinho Casares, filho do presidente, representando a família do homenageado.

Casares recebeu suas duas honrarias ao som do hino do São Paulo, que foi executado pela banda da Guarda Civil Metropolitana. Ao fim da sessão, para fechar com chave de ouro, ainda houve uma apresentação da escola de samba Dragões da Real.

Casares ouviu as palavras dos que estavam ali presentes e também discursou após receber a homenagem. O profissional contou que teve de começar a trabalhar com pouca idade e destacou sua trajetória até se tornar presidente do Tricolor.

“Eu tive que começar a trabalhar bem cedo. Passei aqui nesta casa, ainda jovem. Estudando, me tornei radialista, advogado e professor. Fiz tudo com muita alegria e humildade. No São Paulo eu era um cara de arquibancada, e estava satisfeito. Fui voluntário de marketing. Hoje nós estamos recuperando a dignidade do São Paulo. A instituição está em processo de reconstrução. Temos que estar sempre trabalhando”, afirmou o dirigente.

Já no fim do discurso, o dirigente agradeceu a Medalha Anchieta e o Diploma de Gratidão da cidade de São Paulo recebidos na sessão e ressaltou, como torcedor, o amor que sente pelo São Paulo. Após as declarações, Casares foi aplaudido de pé.

“Vou tentar honrar essa medalha, como faço na vida há 62 anos. Essa medalha é muito especial, mas ela também vai representar 20 milhões de torcedores, e também a todos os que gostam de esporte, mesmo não sendo nossos torcedores. Neste momento eu vejo aquele menino lá de trás. Esse amor pelo nosso time é o primeiro amor da gente; e esse amor faz a razão de um parlamento, de uma gestão, que é tornar o São Paulo FC o clube mais popular do Brasil”, concluiu o profissional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *