Rafinha foi campeão mais uma vez.

Assim como na Copa do Brasil de 2023, o capitão do São Paulo foi o responsável por erguer a taça da Supercopa Rei no gramado do Mineirão, em noite em que ele armou a roda de pagode ainda no gramado e enfileirou provocações ao rival.

Antes, foi às lágrimas quando as dores o obrigaram a ser substituído aos 14 minutos do segundo tempo, dando lugar a Moreira. Em novembro, o lateral-direito sofreu uma lesão no tendão semitendíneo da perna esquerda contra o Atlético-MG, ainda no Brasileirão.

Neste ano, vem tratando uma lesão muscular na posterior da coxa. Agora, vai parar para se tratar e conseguiu voltar 100%.

– Todo mundo sabe o esforço que eu fiz. Hoje joguei com uma perna, estou com um lesão gravíssima na posterior, quero agradecer todo o departamento do São Paulo, principalmente os fisioterapeutas que ficaram comigo nesta semana, manhã, tarde e à noite. Graças a eles pude jogar. Nem joguei, estava só em campo, estava com muita dor. Mas era uma final, eu não queria ficar fora.

Em sua entrevista coletiva, o técnico Thiago Carpini exaltou a presença do seu capitão no jogo:

– Nós sabíamos do risco, mas o Rafinha é um espelho deste nosso ambiente de comprometimento. Eu sabia das limitações dele, mas ele quis ajudar, foi no limite, jogou no sacrifício, temos de enaltecer a coragem de um cara multicampeão, que ganhou tudo na carreira, mas que viu o tamanho da importância deste dia para estar em campo – elogiou o treinador.

No Mineirão, Rafinha se tornou o primeiro capitão desde Rogério Ceni a erguer duas taças de campeão no São Paulo. Com 18 títulos, o ex-goleiro teve sete como capitão da equipe.

– Esse foi meu título 32. Cabe mais! Temos mais quatro competições para disputar neste ano. A gente vai chegar em alguma delas, com certeza. Vamos chegar para ser campeão, se Deus quiser.

Alan Franco levanta Rafinha no título do São Paulo — Foto: Ricardo Chiri/saopaulofc

Veja a lista de títulos de Rafinha:

Coritiba (2): bicampeão paranaense (2003 e 2004);
Bayern de Munique (18): sete vezes campeão da Bundesliga (2012/13, 2013/14, 2014/15, 2015/16, 2016/17, 2017/18 e 2018/19), quatro vezes campeão da Supercopa (2012, 2016, 2017 e 2018), quatro vezes campeão da Copa da Alemanha (2012/13, 2013/14, 2015/16 e 2018/19), uma Liga dos Campeões, em 2012/13, uma Supercopa da UEFA e um Mundial, em 2013;
Flamengo (6): bicampeão brasileiro (2019 e 2020), campeão carioca (2020), campeão da Libertadores (2019), campeão da Recopa e da Supercopa, em 2020;
Olympiacos (2): uma Copa da Grécia, em 2019/20, e uma Super LIga Grega, em 2020/21;
Grêmio (2): campeão gaúcho em 2021 e campeão da Recopa Gaúcha em 2021.
São Paulo (2): campeão da Copa do Brasil em 2023 e da Supercopa em 2024.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *