Gabriel Neves tem chamado a atenção no São Paulo pela visão de jogo apurada. O uruguaio deixou a partida contra o Tigre, na última terça-feira, pela Copa Sul-Americana, como um dos jogadores com mais lançamentos certos. O aproveitamento de 94% dos passes certos também impressionou.

A facilidade em jogar com a bola nos pés fez Dorival Júnior ser questionado sobre a posição de Gabriel Neves em campo. O São Paulo tem uma carência de jogadores que armam a jogada, e o uruguaio poderia seria o homem ideal. Certo?

Para Dorival, não. Segundo o técnico, Gabriel Neves é um jogador de uma boa técnica, mas que já está acostumado a atuar como um volante de criação. A função de meia requer outras características.

– Um 10 na essência é um pouco complicado, porque esse 10 precisa pisar na área, ser a surpresa que sempre vem armando e pode complementar a jogada. O Gabriel ele tem uma técnica apurada, visão de jogo impressionante e acredito que ele se sente mais confortável vindo de trás, tendo uma visão periférica do que esteja acontecendo, e com isso dando a velocidade ao time –analisou o técnico.

– Às vezes, é necessário que esse 10 esteja de costas, e muitas vezes esse jogador (volante) não se sente confortável e confiante em atuar dessa maneira, já que passou a vida toda jogando de frente para o gol adversário. Em momentos que ele se sente acuado, o movimento dele é de um volante de criação. Dificilmente o Gabriel se adaptaria (à função de meia) nesse momento da carreira – completou.

Atualmente, o jogador que tem assumido as características de “camisa 10” é Rodrigo Nestor. Ele vinha bem na temporada até sofrer uma fadiga muscular na coxa. Nos últimos quatro jogos, foi irregular.

Muito por conta disso, Gabriel Neves se destacou. Atuando como um segundo volante criador, ele tem sido peça fundamental no esquema tático de Dorival. Com pouco espaço no começo da temporada, sob o comando de Rogério Ceni, o uruguaio mudou de status com a troca de comando.

Gabriel se tornou titular absoluto e quando não atua o time perde a mobilidade no meio de campo. Ele foi ausência na derrota contra o Cruzeiro, no último fim de semana, por cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo.

No sábado, às 16h, diante do Fluminense, ele volta a atuar pelo Brasileirão e tentará ajudar o São Paulo a retomar o caminho das vitórias no torneio. Com 18 pontos ganhos, o Tricolor é o 11º colocado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *