Alexandre Pato voltou ao São Paulo no fim de maio querendo “ser campeão, entrar na história do clube e fazer muitos gols”. Parte do desejo foi atendido coletivamente com o título da Copa do Brasil, mas a parte individual do atacante contrasta com o momento da equipe pouco antes do fim de seu contrato.

O jogador de 34 anos reestreou pela equipe do Morumbi diante do Bragantino em julho e, na época, empolgou os torcedores por uma possível sequência.

A parceria com Calleri no ataque, no entanto, nunca se concretizou, e Pato ficou cada vez mais longe de ganhar o status de titular no São Paulo de Dorival Júnior.

Ele atuou apenas dez vezes na temporada e só uma delas entre os 11 iniciais: foi contra o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro, junto a outros reservas do Tricolor.

Os dois gols marcados neste período também não se mostraram suficientes para convencer a comissão, que deu mais espaço para jogadores como Luciano, Wellington Rato e Lucas — que voltou para o clube e tomou conta de uma das vagas ofensivas.

A situação de Pato se agravou quando Dorival optou por deixá-lo fora até mesmo da lista de relacionados nas finais da Copa do Brasil, convocando o jovem Juan para preencher o banco.

Últimas tentativas

A cirurgia de Calleri pode ser a oportunidade perfeita para Pato mostrar serviço e continuar no São Paulo na próxima temporada, já que o argentino passou por operação no tornozelo e, em meio à data Fifa, abre espaço na equipe titular nas próximas semanas.

O brasileiro tem contrato até o fim do ano e, por enquanto, há dúvidas sobre uma renovação: enquanto o jogador não vive bom momento técnico, vem ganhando pontos nos bastidores pelo comportamento fora das quatro linhas.

O próprio diretor de futebol do São Paulo, Carlos Belmonte, ressaltou a boa influência que Pato causa nos jogadores mais jovens. Ele, no entanto, avaliou que o impasse sobre a permanência será resolvido com reuniões nas próximas semanas.

Agora nós vamos começar essas reuniões para avaliação e vamos analisar a situação do Alexandre Pato. O que eu posso dizer em relação ao Pato é que, mesmo não sendo relacionado para alguns jogos, ele tem sido um profissional

corretíssimo e nos ajuda demais com os meninos da base, até pela experiência que ele tem na Europa. É um cara exemplar e vamos fazer a análise nas reuniões que teremos pela frente
Carlos Belmonte

Os números de Pato em 2023
Jogos: 10 (nove como reserva e um como titular)

Minutos em campo: 162

Gols: 2

Vitórias: 1

Empates: 4

Derrotas: 5

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *