O gramado sintético voltou a ser tema de discussão para o São Paulo. Mais uma vez, em uma partida disputada nesse tipo de campo, o Tricolor perdeu outro jogador. Contra o Palmeiras, no Allianz Parque, o ‘sorteado’ foi Lucas Moura. O jogador sofreu um estiramento na coxa, conforme os exames de imagem.

Mas este não foi o primeiro caso recente. Somente neste ano, nomes como Nahuel Ferraresi (lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direito), Galoppo (lesão no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo), Welington (lesão ligamentar no tornozelo esquerdo) e Rafinha (lesão ligamentar no tornozelo esquerdo).

No ano passado, uma situação assim chamou bastante atenção. Miranda sofreu uma lesão no ligamento colateral medial do joelho esquerdo no último Choque-Rei de 2022 disputado no Allianz Parque. Mas, devido a esse problema, Miranda não se recuperou a tempo de voltar para o final da temporada e se aposentou, tendo aquele como seu último jogo da carreira.

Esta questão dos gramados sintéticos está sendo alvo de discussões antigas pelo clube. Há algumas semanas, em entrevista ao ‘Globo Esporte’, Carlos Belmonte revelou que o Tricolor teve um plano de construir um gramado sintético no CT da Barra Funda, justamente devido à recorrência de problemas como esse – e principalmente os que acontecem na casa do rival.

– A gente tem conversado bastante aqui e isso mudou um pouco. Temos visto a quantidade de lesões que têm ocorrido nos campos sintéticos. A NFL, por exemplo, está no processo contrário, buscando diminuição dos campos sintéticos – revelou.
Isso deve ser uma preocupação também durante a semana. No próximo domingo (29), o São Paulo viaja até Curitiba para enfrentar o Athletico-PR. O jogo será na Ligga Arena. E mais uma vez, um pesadelo volta a assombrar: o gramado sintético.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!