Sou sócio do São Paulo Futebol Clube desde 1994, mas frequento as arquibancadas do Morumbi desde os 7 anos, em 1970, quando meu pai me trazia para assistirmos aos jogos, acompanhados das bandeiras que minha mãe produzia em casa, com sua máquina de costura.

Naquele tempo, ser sócio desse amado clube era um sonho muito distante e que foi se consolidando no período áureo e mais vitorioso do nosso Tricolor. Assim, após a conquista do bicampeonato mundial, pude realizar esse sonho e adquirir o título patrimonial familiar, no início de 1994.

Ao longo desses 29 anos de associado, sempre participei de forma ativa do Futebol Social e meus filhos puderam desenvolver-se social e esportivamente nas atividades do COD, patinação e treinos de futebol com o Terto e o Roberto Dias, sempre valorizando a prática desportiva como um instrumento de socialização em que podemos fazer novos amigos, aumentando o nosso rol de relações pessoais.

Sou professor, inclusive já tendo ministrado aulas para muitos filhos de amigos aqui do clube e minha maior satisfação é ver que se tornaram pessoas de bem, felizes e com boa colocação no mercado de trabalho. Uma vez professor, sempre professor!

Atualmente, minhas atividades profissionais são voltadas à autoria de livros didáticos, atividades de formação de professores e consultoria para escolas, editoras e secretarias de educação.

Quem me conhece sabe que prezo e defendo o equilíbrio entre o Clube Social e o Futebol Profissional, em uma equação financeira responsável e transparente. E é a luta pela responsabilidade financeira da Instituição que me motivou ao lançamento da candidatura ao Conselho Deliberativo, pois entendo que a fiscalização das ações e contratos firmados é fundamental para voltarmos a ter um clube com saúde financeira adequada. Hoje, contraímos empréstimos para pagar outros empréstimos e isso faz com que nos afundemos no déficit financeiro que, daqui a pouco baterá na casa dos 800 milhões de reais. Portanto, é necessário que busquemos o equilíbrio financeiro da Instituição, com redução gradativa do endividamento, como condição necessária para o Clube recuperar seu lugar de destaque no futebol brasileiro.

Além disso, sou favorável à eleição direta do Presidente pela Assembleia Geral dos Sócios e defendo que os Diretores Adjuntos sejam escolhidos pelos praticantes de cada modalidade, pois dessa forma sempre teremos no comando alguém que é praticante e conhecedor profundo das necessidades e características de cada departamento.

Outro ponto que defendo é a possibilidade de venda interna para os sócios, de ingressos para todos os setores do estádio, não só no caso de jogos decisivos das fases finais de campeonatos, mas de todo e qualquer jogo do São Paulo. Somos sócios-proprietários e essa condição tem que produzir benefícios para todos nós.

Na segunda quinzena de novembro será realizada a eleição de conselheiros que elegerão, na sequência, os membros da diretoria executiva. Até lá teremos tempo para abordar diversos temas de interesse do associado e dos torcedores do SPFC.

Sou candidato pela coalizão de oposição, “SALVE O TRICOLOR PAULISTA”, que reúne sócios que buscam mudanças na maneira de administrar a Instituição. Peço, desde já, o apoio daqueles que compartilham comigo as ideias acima, e me coloco à disposição para discussão de temas e propostas de melhorias para a administração de nosso amado clube.

Sou Wolney Melo, sócio do São Paulo desde 1994 e um apaixonado pelas cores vermelho, branco e preto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *