O São Paulo avalia a possibilidade de investir na contratação do atacante brasileiro André Silva, que defende as cores do Vitória de Guimarães, de Portugal. Destaque no futebol português, o jogador quase se mudou para a Itália no mês passado.

No início deste ano, quando a janela de transferências estava aberta, André Silva ficou muito perto de ser vendido ao Hellas Verona, que disputa a Primeira Divisão do Campeonato Italiano. O clube chegou a um acordo com o Vitória e ficou por detalhes de anunciá-lo como novo reforço.

Entretanto, o negócio melou por um motivo o tanto quanto curioso. O Hellas acreditava que o jogador era português, portanto, ele não ocuparia uma vaga de estrangeiro no time por possuir passaporte europeu. O clube italiano baseou-se em informações do Transfermarkt, site especializado em estatísticas e valores de negociação, no qual, por engano, constava que o atleta havia nascido em Portugal.

Apesar das passagens de avião terem sido emitidas com passaporte brasileiro, o Hellas só percebeu a falha quando o jogador e seu agente, João Araújo, já estavam em solo italiano. O atacante teria custado 3,5 milhões de euros (R$ 18 milhões) aos cofres do clube.

André Silva, então, permaneceu no Vitória de Guimarães. Titular da equipe, o atleta vive a temporada mais artilheira de sua carreira.

São 13 gols marcados e duas assistências distribuídas em 27 jogos. Sua equipe está na quinta posição do Campeonato Português, com 41 pontos – 12 vitórias, cinco empates e cinco derrotas em 22 rodadas.

No país lusitano, o atacante também atuou pelo Rio Ave e pelo Arouca. Mais jovem, ele passou pela equipe sub-20 do Internacional.

Natural de Taboão da Serra, na região metropolitana de São Paulo, o atleta é monitorado pelo clube do Morumbis há bastante tempo. Desde o fim do ano passado, a diretoria busca a contratação de um centroavante que venha para ser o reserva imediato de Calleri, titular absoluto da posição.

Apesar do interesse tricolor, a negociação é vista como difícil. O contrato do jogador com o clube atual se estende até 30 de junho de 2026, e o Vitória de Guimarães pede um valor alto para liberar o jogador.

Este não é o primeiro camisa 9 mapeado pelo São Paulo nos últimos meses. Recentemente, o clube se interessou por Pedro Raul, mas o Toluca-MEX fez jogo duro e ele foi parar no Corinthians. No elenco atual, quem tem atuado como centroavante na ausência de Calleri é o garoto Juan, alvo de desconfiança da torcida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *