O São Paulo de 2023 saiu do descrédito para a possibilidade de ganhar um título inédito no próximo domingo. O Alisson de 2023 passou por problemas pessoais que o afastaram por semanas do trabalho do dia a dia, mas hoje se tornou uma peça fundamental na equipe de Dorival Júnior, que está a 90 minutos de conquistar um troféu inédito.

Sob o comando do atual treinador, Alisson virou meio-campista central, um popular “segundo volante”, e não saiu mais do time. Essa reconstrução surge como um paralelo com a mudança de panorama da equipe e une indivíduo e coletivo perto da conquista da Copa do Brasil.

Basta um empate contra o Flamengo neste domingo, às 16h (de Brasília), no Morumbi, para o São Paulo vencer pela primeira vez o torneio. A vantagem tricolor deu-se pela vitória por 1 a 0 no Maracanã, em tarde na qual Alisson saiu aplaudido pelo torcedor são-paulino presente no setor de visitante.

– É um ano muito especial para mim e para o São Paulo. Voltar a disputar uma final de competição nacional evidencia essa retomada do clube que já conquistou tantos títulos grandes – afirmou o meio-campista, em contato com a reportagem do ge.

Sem se aprofundar sobre as questões pessoais que o afastaram de boa parte do início da temporada, Alisson se apega ao apoio recebido, tanto do clube como do círculo pessoal.

– Para mim, tanto dentro quanto fora de campo, foi um ano de mudanças e superações. Tudo serve de lição. Pude aprender muito, evoluir e dar valor às pessoas, e só posso agradecer a todos que me ajudaram a chegar com tanta força como tenho hoje – disse o camisa 25.

– É um ano de superação, reinvenção, provação e espero terminar com esse título que será tão comemorado – comentou.

As provações superadas por Alisson podem ser consagradas neste fim de semana, sacramentando uma mudança até na relação entre o jogador e a arquibancada.

A alteração de posição transformou Alisson em um jogador bem avaliado por torcedores. Os aplausos no Maracanã, enquanto o atleta saía com câimbras, mostram o respeito adquirido antes do encontro que pode ser definitivo.

No domingo, o Morumbi deve receber cerca de 60 mil pessoas, que podem fazer a diferença para o Tricolor sair campeão. Aliás, o ambiente do estádio é um dos fatores mais importantes para a campanha na Copa do Brasil.

Na semifinal contra o Corinthians, por exemplo, um corredor chamativo na chegada do ônibus e o ambiente criado receberam elogios dos atletas.

– Tem sido muito especial desde quando cheguei ao clube ver o estádio sempre lotado. Já temos uma motivação natural por vestir a camisa do São Paulo, mas quando vemos tanta gente nas arquibancadas nos apoiando, dá um ânimo maior ainda – comentou.

Alisson deve ser titular ao lado de Pablo Maia como meio-campistas mais recuados do São Paulo. Em caso de conquista, o jogador consagrará o ano da reinvenção com a segunda Copa do Brasil da carreira – ele foi campeão em 2017 com o Cruzeiro.

Uma resposta

  1. Bela vitória contra o Flamengo, mas pessima perda para o Fortaleza.
    Falta ao SPFC mais dribles e enfiadas pelo meio, além de acertar chutes no Gol e não por cima, fora e facilitar para o goleiro adversário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *